BeholderCast 062 – Bluehand! Cadê meu bandolim?

Bem vindo aventureiro, nesse episódio a taverna é atacada pelo famoso ladrão da mão azul. Bluehand está entre nós contando suas aventuras, desventuras e descobertas no mundo do RPG.

Descubra nesse episódio como criar um personagem marcante, como acumular várias carroças lotadas de itens sem que o mestre perceba e como não morrer facilmente quando se encontrar com um dragão no covil dele!

Não esqueça de curtir a taverna no Facebook, seguir a gente no Twitter e no Instagram @obeholdercego.
Mande um e-mail com seu comentário, críticas e sugestões para o @obeholdercego@gmail.com

One Reply to “BeholderCast 062 – Bluehand! Cadê meu bandolim?”

  1. Olá, nobre bardo e taverneiro, o mestre cervejeiro. Prometo não cometer nenhum crime enquanto estiver em sua bela taverna. Aproveitando esse incrível cast com Blue Hand, venho compartilhar a historia de como eu consegui minhas habilidades de bruxo.

    Eu e meu grupo (um bruxo, um bárbaro, um clérigo e eu o ladino) estávamos perseguindo um clã de vampiros, suspeitos de possuir o lendário Anel de Leiland, capaz de fazer com o portador passe despercebido até por um Beholder. É claro que eu estava querendo demais aquele anel, com ele em mãos, minhas habilidades seriam quase ilimitadas…. Durante nossa longa caçada, estamos discutindo sobre quem deveria ficar com o tesouro desejado por todos (menos o clérigo é claro). Nosso bruxo insistia que eu já era furtivo o suficiente e que ele deveria ficar com o anel, dizia ainda que eu era um péssimo ladrão e que o anel nas mãos dele seria mais útil. Esse foi o seu erro.
    Consegui roubar seu grimório na noite antes de entrarmos no covil desses vampiros (Quem é o péssimo ladrão ???). Durante nossa luta o bruxo n conseguiu fazer nada, foi então que eu percebi que ele não era nada sem seu livro, pobre homem foi o banquete dos vampiros… Depois que tudo acabou o seu senhor precisava de um novo cervo, aquele grimório me chamava… e eu aceitei. Anos se passaram até que eu conseguisse usar algumas das habilidades que nosso falecido bruxo fazia, mas no fim eu o dominei e hoje possuo o anel de Leiland e o grimório do corruptor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *