4 Comments

  1. Thalisson C. Torres

    E AE MEUS QUERIDOS DESSA TAVERNA SUPERFODA, BELEZINHA?!!

    Eu pensei e pensei nas minhas aventuras e em cada momento épico que aconteceu e então vou deixar o relato de um aqui que aconteceu antes do Meu ranger Urfael enfrentou o dragão (que vocês narraram aqui uma vez <3)

    Aí vai:

    Estávamos atravessando o mar para chegarmos ao continente de Numen (continente criado por mim que o mestre tomou a liberdade de usar) e em meio àquela maresia e calmaria sofremos um ataque inesperado; Uma Baleia dragão resolveu fazer do nosso navio um brinquedo. As pancadas foram terríveis e o navio estava extremante avariado. A guerreira Agnes manobrava o navio (tem o Arquétipo de pirata então ela era obrigada a manobrar o navio para não afundarmos) enquanto Pasquim (NPC que pomos o nome em homenagem ao Marcos pasquim por ele ficava sempre sem camisa e suado XD) a Druida Fellena e Eu, Urfael, atirávamos com as balestras tentando rechaçar aquele monstro para longe. A Maga Yriel tentava em vão acertar as magias (inclusive acertando alguns NPCs que estavam no convés). Chegamos então a um ponto crítico, mesmo com flechas e balestras o navio iria perecer se não matássemos ou espantássemos a criatura, foi então que eu corri para o convés e sem falar com ninguém, amarrei uma corda bem firme na minha cintura e pulei com espada em punho caindo no lombo da criatura quando ela imergiu para mais uma investida, ali cravando minha espada magica que consegui ao morrer (outro dia conto essa história XD); Com a espada magica cravada ali consegui um crítico por ter a lamina presa no corpo da criatura, foi então que invoquei o poder da “esfera de aniquilação”, um ataque especial que a espada tem e que causa 4d8 de dano + 2d6 extras ao tipo dragão; o dano foi tão alto que afundou o monstro na água e fez com que eu saísse voando e batendo na beirada do navio, tomando 10 de dano pela pancada; Minhas companheiras me ajudaram a subir e quando nos viramos para ver o bicho, ele já não estava mais ali, depois disso a viagem seguiu normalmente até que aportamos numa ilha afim de reparar o navio para então seguir para o continente de Numen.

    Aqui esta meu relato, tenho mais alguns mas isso deixa pra uma próxima. Tomem as PO’s e grande abraço.

  2. E ai grandes Taverneiro e Bardo!

    Eu ainda não tenho nenhum momento épico, ou nenhum que eu considero épico jogo a pouco tempo, mas tenho um momento a registrar aqui e quero só ver se o Bardo vai ter coragem de ler esta mensagem no próximo cast.

    Em uma mesa que estava sendo narrada pelo nosso amigo Bardo, ele como de costume estava tentando assassinar os players, ou seja, uma mesa normal dele, mas nesse dia foi um combo de fiadaputagi+azar no dado, no meio da aventura o Bardo coloca o nosso grupo para enfrentar o grande vilão da história que ele estava montando um mago (ou era necromante? não lembro) e seus asseclas, um desses asseclas tinha um martelo desintegrador, que ai o grupo resolveu atacar em conjunto, eu fui na frente afinal era o tank do grupo, eu estava todo animado que tinha acabado de ganhar uma armadura coisa linda, ela me dava a capacidade de voo e aumentava a CA bastante, então tinha fechado o combo da alegria, bom, pelo menos era o que eu acreditava né…
    Como disse, o combo de fiadaputagi do mestre+azar nos dados é cruel, logo no primeiro golpe o mestre tirou 3 críticos e me desintegrou, passado o combate, resolvi voltar com o mesmo personagem em vez de começar do zero, só que ressurreição estava fora de que$$$tão, fomos para reincarnação, acabei virando um gnomo, olha só que beleza, um gnomo tank, que sensacional… rsrs
    Fim da mesa? Todos mortos, mandamos o Bardo ir se tratar, mas sem resultado, a última mesa do mestre, teve o mesmo resultado, todos mortos. rs

    Bom fica aqui registrado um pouco da minha indignação com esse assassino em série, de mente doentia e perversa…

    Eu no seu lugar Taverneiro, começaria a ficar mais atento, mas acho que você já sabe disso, afinal, está convivendo a mais tempo com este sádico Bardo.

    Abraços

  3. Ricardo Andrade Santos

    (Escolhendo a ficha, aqui achei uma ) Sou Mordo, humano ranger “caçador de magos”, que com seu machado conseguiu vencer o labirinto da cidade de Triumpus e que libertou a princesa Rhana de sua Benção/Maldição que a aprisionava na cidade. Que atualmente se encontra preso em Sombria (Plano da deusa da noite Tenebra).

    Vim dizer que o podcast dos Guardiões da Galaxia foi excelente e estou baixando nesse instante para escuta-lo com ansiedade.

    1) Eu mestrei mais do que joguei, por isso tenho mais momentos épicos dos outro do que meus. Mais dois que eu me lembro além da história do Mordo acima. São quando meu bárbaro Dreider venceu sozinho um esqueleto gigante que controlava uma legião de mortos-vivos.
    E meu outro bárbaro Thor (eu pensei nunca iam fazer um filme desse personagem, daí peguei o nome dele) que era de baixo nível e teve que encarar um gigante, daí ele teve que correr em um terreno cheio de armadilhas e estacas na esperança de que alguma mata-se o gigante que corria atras dele. E não é que deu certo. Infelizmente em outra aventura ele morreu para um Urso Atroz Polar nas Montanhas Uivantes, mas acontece !

    2) O Conto do Biel foi ótimo e a ideia de campanha do podcast anterior foi excelente. Se seus personagens precisarem de ajuda contra vampiros, Thanos e Caçada Selvagem é só chamar que irei prontamente ajuda-los !

  4. José Figueira

    Oi Taverneiro e Bardo, aqui quem voz fala é José um ladino e não ladrão das minas das sombras. Venho aqui mostrar a apreciação ao trabalho de vocês. Gosto muito dos podcasts e adorei o conto do bardo! Existe a possibilidade de vcs postarem as fichas dos personagens épicos de vcs? Abraco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *